REPRESSÃO POLICIAL: PROTECTORADO VAI DENUNCIAR À ONU

O Protectorado Lunda Tchokwe afirma que vai denunciar as constantes repressões policiais contra os manifestantes à Organização das Nações Unidas, à União Europeia e ao Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos. A intenção foi manifestada esta semana pelo presidente da mesma organização, depois da libertação de vários membros do grupo.

No último fim-de-semana, os activistas, que reivindicam a autonomia das regiões do leste do país, organizaram um acto de protesto.

“É o que todos queremos saber. Queremos denunciar este processo ao Alto Comissariado das Nações Unidas dos Direitos Humanos, à ONU, à União Europeia e outras instituições internacionais para chamar a atenção do regime angolano. O Movimento do Protectorado nunca violentou, nunca fez vandalismo em nenhuma estrutura ou viatura do Estado angolano. Porque é que o Estado tem de usar violência contra os manifestantes?”, disse à DW.

José Mateus Zecamutchima reafirma a intenção de realizar uma outra manifestação nos próximos dias, porque entende que o grupo não tem outras alternativas.

“Dentro de 60 ou 90 dias vão ter de sair as manifestações. E vamos comunicar ao Governo, porque o objectivo de toda a nossa luta é o reconhecimento da autonomia do Reino Lunda Tchokwe, que abrange a Lunda-Norte, Lunda-Sul, Moxico e Kwando Kubango. O próprio Presidente João Lourenço disse que ia começar a negociar e a ouvir a sociedade. Nós somos sociedade organizada e civilizada. Vamos continuar com as manifestações e vão ser muitas”.

Fonte: Novo Jornal

One thought on “REPRESSÃO POLICIAL: PROTECTORADO VAI DENUNCIAR À ONU

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *